Selecionei 5 atrações legais e diferentes para se fazer em Tokyo!

1. Atravessar a Rainbow Bridge andando até Odaiba

Odaiba é a parte mais moderna e futurística de Tokyo, com shoppings e prédios modernos. Fiz uma coisa diferente, desci na estação Shibaura, cruzei a Rainbow Bridge andando pelo lado SUL com vista da Tokyo Bay, até chegar na Marina de Odaiba, onde assistimos o pôr do sol maravilhoso! Aproximadamente 30 min andando. Caso não queira atravessar andando, pegue o metrô, que tem a vista maravilhosa, pois é externo, até chegar na Odaiba Station.

odaiba 9 odaiba 8 odaiba 7 odaiba 6 odaiba 5 odaiba 4 odaiba 3 odaiba 2

2. Ir num Cat Café

É bem tradicional no Japão ir em um café de gatinhos, onde você pode brincar com eles. Como é difícil e burocrático ter animais de estimação em casa, devido ao tempo que ficam com eles e espaço, muitas pessoas vão ao café de gatos para ficar com eles e tomar um café. O ambiente é lindo, todo decorado, limpo, sem nenhum cheiro ou sujeira. Fui no Mocha Cat Café, que fica em Harajuku, na Rua Takeshita Dori. Eu adorei!!!! Os gatos são muito bem tratados, lindinhos, fofinhos e dóceis.

cat cafe 1 cat cafe 2 cat cafe 3 cat cafe 4 cat cafe 5 cat cafe 6 cat cafe 7 cat cafe 8

3. Relaxar em um onsen

Onsen é um complexo de águas termais MUITO quentes (40graus) onde todos entram completamente nus para relaxar. Conheci um famoso Onsen, em Odaiba, aqui em Tokyo, com piscinas cobertas e abertas, além de um espaço com restaurantes, spa, lojas e até hotel! Todos andam de yukata (kimono) e ficam completamente nus, separado por sexo. Antes de entrar tem que tomar banho (não é ducha) e ao sair tem cremes pra pele e cabelo maravilhosos! Expressamente proibido entrar com tatuagens/bikini/sunga e custou 2000 yenes de entrada, aprox 20 dolares! Prática muito comum entre os japoneses e dizem que faz bem, graças a extensa área vulcânica! E ainda pude vestir um kimono de verão!! Amei!

onsen 3 onsen 1 onsen 2 onsen 4

4. Conhecer o maior mercado de peixes do mundo

O Tsukiji Fish Market é o maior mercado de peixes do mundo. Compradores de diversos restaurantes chegam as 5 da manhã para participar do leilão de peixes, que vem de várias partes do mundo. Um atum de 60kg chega a custar em torno de 5000 reais! O leilão é aberto aos turistas para os primeiros que chegarem na fila. Tem gente que chega as 2 da manhã para conseguir assistir. Tradicional!

tsukiji mercado de peixes tsukiji mercado de peixes 6 tsukiji mercado de peixes 7 tsukiji mercado de peixes 5 tsukiji mercado de peixes 4 tsukiji mercado de peixes 3 tsukiji mercado de peixes 2

5. Conhecer a emissora NHK

Na emissora NHK, a maior broadcaster do Japão. Possui mais de 10 mil funcionários e tramite em mais de 290 milhões de casas em mais de 150 países, inclusive no Brasil. Interessante que eles não tem propaganda nos programas, cada casa paga em torno de 10 dólares por mês para assistir no Japão.

nhk 2 nhk 3 nhk

LEIA TAMBÉM

Mais sobre a NHK, por minha colega Rita Yoshimine, reporter da Globo:

NHK (Nippon Hōsō Kyōkai)  Corporação de Radiodifusão Japonesa

“Nós somos uma TV pública, não uma TV do governo”, disse, com orgulho, um dos dirigentes da empresa. A NKH não tem anunciantes nem recebe dinheiro do governo em si. Ela sobrevive da taxa que os cidadãos que têm receptor de TV pagam, cerca de US$ 10,00 por mês. Está na lei, o pagamento é obrigatório, mas não há punição definida pra quem não paga. A expectativa é que, em 2017, 80% dos que têm o receptor paguem a taxa.

A TV começou a operar em 1925. Tem canais para os públicos interno e externo – nesse caso, em japonês e inglês. 

O Japão, como no Brasil, tem TV digital (HD), mas está fazendo transmissões em 4K (de maior definição) em algumas províncias, de forma experimental. A TV Globo e a NHK são parceiras. Elas gravaram juntas o carnaval de 2016 em 8K (super alta definição) e fizeram a transmissão experimental das Olimpíadas do Rio de Janeiro. A expectativa da TV japonesa é transmitir muitos eventos das Olimpíadas de Tóquio, em 2020, em 8K.

Para efeito de comparação: meu colega da Bolívia disse que no país dele apenas os canais a cabo, mais caros,  são transmitidos em HD. Os de full HD são poucos. Os canais de TV aberta ainda são analógicos, do sistema dos anos 90.

E uma curiosidade: por questões culturais, os repórteres da NHK não usam canopla, aquela parte do microfone em que aparece a logomarca da empresa. 

Ps – no site da NHK, há um curso gratuito de japonês para brasileiros:

https://www.nhk.or.jp/lesson/portuguese/

SOBRE MIM

Priscila Kamoi é formada em Administração e Marketing pela Baldwin Wallace University. Trabalhou durante 7 anos no mundo corporativo e após câncer, largou a carreira corporativa para ter uma vida com mais propósito, liberdade e felicidade. Viu o blog como uma forma de unir tudo o que ama: viajar, ler, escrever, fotografar, moda, comer, culturas e pessoas. Já teve seu olhar por 25 países até agora e possui mais de 60 roteiros de viagens.Viajante, empreendedora e nômade digital por opção SAIBA MAIS

Conheça:

Acompanhe o blog no Facebook  / Instagram / Vídeos no Youtube Blog Jornada Kamoi