Uma das questões mais discutidas é: Dinheiro compra felicidade?

Ouvimos sempre várias opiniões: “Rico é quem pode surfar numa tarde de segunda-feira” ou “Dinheiro não compra felicidade mas compra livros/sorvete/chocolate que é quase a mesma coisa” ou “Dinheiro não compra felicidade, e sim o amor”.

Deixando de lado opiniões pessoais, politicamente corretas ou moralistas, uma pesquisa da Universidade de Princeton diz que dinheiro compra felicidade sim. Quem ganha 75 mil dólares por ano, nos Estados Unidos, é mais feliz do que quem ganha 5 mil dólares por ano. Só que essa proporção não segue continuamente. Se você ganha 600 mil, 1 milhão ou mais por ano não será mais feliz do que quem ganha 75 mil. Por quê? Porque o dinheiro traz felicidade enquanto garante saúde, alimentação, educação, moradia e aposentadoria, ou seja, uma vida digna.

Vale mencionar que o custo de vida nos EUA e as necessidades básicas dos americanos são mais baratos que dos brasileiros, então devemos considerar esta proporção no nível do Brasil.

No curso de Administração, aprendemos sobre a pirâmide de Maslow, que é uma hierarquia de necessidades, em que as necessidades de nível mais baixo devem ser satisfeitas antes das necessidades de nível mais alto. Cada um tem que “escalar” uma hierarquia de necessidades para atingir a sua auto-realização e felicidade.

450px-Hierarquia_das_necessidades_de_Maslow.svg

Maslow define um conjunto de cinco necessidades descritas na pirâmide.

  1. Necessidades básicas: tais como a fome, a sede, o sono, o sexo
  2. Necessidades de segurança: sentir-se seguro em casa, um emprego estável, um plano de saúde,
  3. Necessidades sociais ou de amor, afeto e sentimentos tais como os de pertencer a um grupo
  4. Necessidades de estima: reconhecimento das nossas capacidades pessoais e o reconhecimento dos outros face à nossa capacidade
  5. Necessidades de auto-realização: em que o indivíduo procura tornar-se aquilo que ele pode ser

Ou seja, a teoria de Maslow está relacionada com a pesquisa de Princeton. Depois que você atinge os primeiros 4 níveis, nos quais precisa-se de dinheiro, você consegue chegar ao quinto nível, que é a felicidade.

Conclusão, dinheiro compra felicidade sim, até um certo ponto. É injustiça dizer para uma pessoa que passa fome que dinheiro não importa pois é difícil pensar em felicidade de barriga vazia mas é tolice passar sua vida sendo refém de uma rotina que você não gosta para ficar cada vez mais rico. Fazer o que se gosta, seja uma atividade física, um trabalho, uma viagem ou um hobby, é uma das ferramentas mais valiosas para ser feliz.

PS: Segundo o cientista social Michael Norton é possível comprar felicidade, quando você usa seu dinheiro para ajudar os outros. Ou seja, presentear os outros pode fazer tão bem a você quanto aos outros.

537315_10200343825344145_588943896_n

Gostou? Compartilhe!

Beijos Pri Kamoi

FAÇA SEU ROTEIRO DE VIAGEM PERSONALIZADO COMIGO

SOBRE MIM

Priscila Kamoi: Formada em Administração e Marketing pela Baldwin Wallace University. Após câncer, decidiu largar carreira corporativa para ter seu próprio negócio. Viajante, empreendedora e nômade digital por opção. Já teve seu olhar por 20 países até agora! Possui uma marca de camisetas ! SAIBA MAIS

Acompanhe o blog no Facebook  e no Instagram

Inscreva-se no canal Blog Jornada Kamoi no Youtube

Leia também:

A última prioridade dos recém casados deve ser comprar um apartamento