Convidei a Aninha Alberine para contar sua experiência maravilhosa como voluntária no Quênia, na África. Estou amando as fotos, os videos e os relatos dela no Instagram.
Para quem não sabe, voluntariado é viajar pelo mundo, trocando habilidades e hospedagem, sendo uma forma colaborativa de viajar, economizar, se conectar com outras culturas e lugares.

O propósito por trás de tudo isso

“Mudar de vida não é fácil, mas também não é tão impossível como parece.

Eu sempre me questionei sobre qual diferença eu faço pro mundo. Qual o propósito naquilo que passo a maior parte do meu tempo?

Eu sou publicitária, trabalhava numa das maiores agências do Brasil, relativamente estável, em ascensão…tudo “perfeito”. Mas me faltava algo, um sentido maior. A vida não pode ser só trabalhar e pagar conta!
Esses questionamentos martelavam na minha cabeça todo dia. Até que eu resolvi juntar as duas coisas que me movem: propósito e turismo. Vendi todas as minhas coisas (móveis e roupas), pedi demissão, larguei “tudo” e vim passar alguns meses na África fazendo trabalho voluntário, só com passagem de ida.
Mulher, sozinha, na África. Parece uma ideia louca, mas foi a melhor decisão que tomei na vida.
Meu primeiro destino está sendo num orfanato no litoral do Quênia, numa aldeia chamada Watamu. Eu vim através da Volunteers Vacation, uma empresa que viabiliza “férias voluntárias” em diversos lugares do mundo. É possível ficar a partir de 1 semana no projeto. Uma ótima alternativa para quem quer ter uma experiência enriquecedora nas férias.
Para os próximos destinos eu vou através do WorldPackers, uma rede social que conecta ONGS (e outros tipos de trabalho) com voluntários. Geralmente eles trocam o trabalho por alimentação e acomodação, o que torna a viagem bem mais acessível financeiramente.

SOBRE O QUÊNIA

Eu estou morando na casa de uma família, o que está sendo uma experiência ainda mais rica, pra entender de fato como eles vivem.
Falta de água, higiene, eletricidade, saneamento básico, alimentação restrita, quase ser presa por estar sem documento ou apenas por estar após as 22hs na rua..são algumas das situações que vi por aqui. Necessidades básicas e que me fazem ver o quanto sou privilegiada de ter a vida que tinha no Brasil.
Quando eu pensava em Quênia eu tinha uma imagem de miséria total. Sim, existe muita pobreza e simplicidade. Porém aqui encontrei muito mais que isso.
Encontrei cenários paradisíacos e a praia mais linda que já fui na vida. Encontrei muito amor, carinho e alegria nas crianças. Encontrei a paz e o propósito que eu tanto procurava. Encontrei a certeza que felicidade nada tem a ver com dinheiro e que existem muitas possibilidades pra chegar até ela. Trabalhar 8 horas por dia numa empresa, é só uma delas.”
Ana, obrigada pelo seu relato! Eu amei!
Estou indo para o Rio de Janeiro ficar um mês lá, também como voluntária em um hostel!

SOBRE MIM

Priscila Kamoi é formada em Administração e Marketing pela Baldwin Wallace University. Trabalhou durante 7 anos no mundo corporativo e após câncer, largou a carreira corporativa para ter uma vida com mais propósito, liberdade e felicidade. Viu o blog como uma forma de unir tudo o que ama: viajar, ler, escrever, fotografar, moda, comer, culturas e pessoas. Já teve seu olhar por 29 países até agora e possui mais de 80 roteiros de viagens.Viajante, empreendedora e nômade digital por opção SAIBA MAIS

Conheça:

Acompanhe o blog no Facebook  / Instagram / Vídeos no Youtube Blog Jornada